Bizarros, fato, lol, opinião

ApocaliPS3 e mais gambiarras

Imagine que você é um programador de jogos e seu próximo jogo tem que ficar pronto pra… ontem. Comofas/ naofas.

Nessas horas que surgem as famigeradas gambiarras. Vocês viram o bug bizarro que aconteceu no PS3? Se não, acompanhem no twitter ou no google pelo termo “APOCALIPS3”. Não soube a fundo, mas do que sei o console basicamente parou.

A próxima será sua batata, Sony...

Um defeito no calendário do videogame (sim, os videogames de hoje TEM CALENDÁRIO. Você já sentiu falta de um calendário no seu SNES ou mega drive? Pois é, nem eu) fazia com que a sincronização da data do PS3 com o servidor simplesmente não batesse, o que impossibilitava dele se conectar. Até aí “vai”, né? O problema é que não bastava desconectar o PS3 da internet pra resolver o problema, uma vez acontecido o bug não tinha jeito.

Consoles inteiros travaram, pararam de funcionar e não rodavam mais jogos nenhum, ao ponto da Sony pedir que nenhum console fosse ligado até que o problema fosse resolvido. Havia o receio de que milhares de saves e jogos fossem perdidos (já que eles ficam armazenados no disco rígido do console). Até que finalmente o bug foi detectado e consertado.

O problema? O console pensou que fosse ano bissexto. Ah tá. Alguém na Sony teve sérios problemas pra programar UM ANO BISSEXTO. Um professor meu da faculdade fez uma agenda em Pascal que detectava ano bissexto, lua cheia, lua minguante… Quer que eu peça que ele mande o código pra vocês darem uma olhada, Sony? Ou melhor, eu mesmo mostro pra vocês como se detecta um ano bissexto:


se (ano módulo 4 é 0) e (ano módulo 100 não é 0) ou (ano módulo 400 é 0) então é bissexto
se não não é bissexto

Aprendido? Agora é só rodar no CELL.

Conclusão: Sou mais meu SNES. Funciona desde 94 sem nenhum bug de calendário, sem nenhuma luz vermelha e coisa do tipo. Já ouviu falar de algum APOCALIPSNES? Pois é, nem eu. Consoles antigos são lindos e maravilhosos, eles não bugam! Ou melhor… quase…

___

Já ouviu falar do bug do Minus Level World no Super Mario Bros 1 de NES?

Explicação sucinta: muitos bugs acontecem quando você acessa um espaço de memória vazio. Cada arquitetura ou linguagem de programação representa esse tipo de situação com um símbolo, como 0, -1, ou o endereço da posição de memória. No caso do NES, ele utiliza o -1.

Enfim, o bug acontece  quando o Mario vai pra uma fase que simplesmente não foi determinada ainda pelo programador. Vejam o que acontece:

___

Huuuuum… delícia de bebê Mario =d

Boa, Yoshi! Eu teria feito o mesmo!

___

Isso que dá não inicializar as variáveis em cada fase =/

___

E pra terminar… Sega does what Nintendon’t

__

Extra:

Você já jogou Sonic 2? Se sim então provavelmente deve odiar o Tails, principalmente porque ele fazia você perder muitos anéis nas fases bônus. Assista um pouquinho de Tails Abuse então para libertar sua alma e seu coração de um pouco desse ódio:

Comentem, se gostarem desse post de bugs ou outros como o de hacks eu posto mais.

Anúncios

8 comentários sobre “ApocaliPS3 e mais gambiarras

  1. Gostei mto do post, muito bom mesmo!
    Só uma correção: não é tão simples assim verificar se um ano é bissexto. A regra é:

    De 400 em 400 anos é ano bissexto.
    De 100 em 100 anos não é ano bissexto.
    De 4 em 4 anos é ano bissexto.

    As primeiras regras prevalecem sobre as últimas. Então, por exemplo, 2000 foi bissexto, mas 1900 não.
    Mesmo assim, continua sendo um algoritmo extremamente mais simples de implementar do que qualquer outra parte da programação do PS3, certeza. Esse é o tipo de código que ninguém testa depois de fazer, né? #FAIL total da Sony!

    1. Fail mesmo, bem sacado Quinela. Desconhecia totalmente essa regra dos 100 em 100 anos… Corrigi no post.

      Mas pensa só, meu videogame ia dar pau só em 2100, até lá espera-se que ninguém esteja mais jogando PS3… Então ainda tou melhor que a Sony.

      E valeu pelo elogio!

  2. Normalmente eu não sou o que tem uma opinião a favor da empresa, mas nesse caso eu tenho que me pronunciar.

    É claro que hoje em dia as pessoas exigem qualidade ao extremo dos produtos que compram. Ainda mais video-games. Mas um fato também é que tanto os consoles quanto os jogos evoluíram absurdamente (tem muito jogo ruim, mas alguns são extremamente bons e um SNES passa longe). Essa evolução traz problemas, ainda mais na área da computação. O fato do PS3 (e outros consoles de terceira geração) terem calendários é um recurso que permite aos consoles acessarem a internet e baixar os demos, acessar a PSN e etc. O Wii tem calendário? Não. Mas também não acessa a internet (não que eu saiba). Enfim, o meu ponto é que as pessoas comentem erros. Falar da regra do ano bissexto é simples, agora, programar isso em um sistema como o SO do PS3 não deve ser trivial. Os códigos são gigantes e complexos.

    Agora, eu te conheço rapá. Vc fala que prefere o SNES mas tem um PS2 na sua casa e um DS. Você ta fazendo igual ao diretor da OAB, que entrou com um pedido pra tornar o uso do terno não obrigatório em tempos de calor intenso. Mas o cidadão estava dando a entrevista de terno. Dê o exemplo. Compre um SNES pra você e doe o seu PS2 e o DS pra mim. ^^

    1. Antes de tudo: o Wii tem calendário e acessa a internet sim: http://pt.wikipedia.org/wiki/Wii#Conectividade_online

      Queria que depois você explicasse o que significa “SNES passa longe” quando vc falava de jogo ruim ou jogo bom. Dependendo do sentido eu vou ficar seriamente ofendido. PS3 e XBOX tão passando longe de ter jogos notórios e com a mesma qualidade do SNES, longe demaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais. PS3 e XBOX precisam comer muito feijão pra terem jogos igualmente divertidos.

      E prestem atenção: não falei de tecnologia nem nada quando fiz essa comparação. Ninguém joga um jogo porque ele tem mais transistores ou mais memória ou gráficos mais realistas. Joga algo pela diversão e boa jogabilidade, isso pode ter melhor no Atari do que no PS3. E na minha opinião eu acho os consoles antigos melhores nisso.

      O problema do calendário é inaceitável thales, complexidade não pode ser desculpa. Como o quinela disse, programar um ano bissexto é infinitamente mais simples perto dos sistemas gráficos ou físicos do PS3, concordo totalmente com ele. Fail total, jamais poderia ter acontecido e não tem desculpa.

      O consumidor já pagou muito caro por PS3 e perdeu uma série de jogos exclusivos, que eram uma das principais razões que justificavam a compra. Agora tem que engolir um CALENDÁRIO que buga ao ponto de não poder jogar mais, NEM OFFLINE? Desculpa cara, é impossível defender a Sony nessa situação, o consumidor toda hora é lesado por ela.

      E sinceramente, não entendi a lógica. O que o DS e o PS2 tem a ver, se é que tem algo a ver. Critiquei o bug do PS3 e adoro o SNES, pq não posso ter um DS ou PS2? Se puder explicar de novo, ficaria grato.

      E isso tudo me deu uma idéia, vou fazer um post falando de como os consoles antigos são infinitamente melhores do que os de hoje. Adoro jogar a verdade na cara das pessoas.

      1. Sereba, eu também adoro comparar a geração atual com a antiga e criticar a atual, mas no fundo eu sei que estou velho pra poder julgar os jogos atuais.

        Acho que só nascendo de novo pra poder julgar cada geração igualmente.

        O adolescente de hoje tem outra carga de informações e influência. Pra ele é normal dezenas de teclas pra dezenas de comandos. Já eu acho essas complexidades chatas e que isso impede a diversão..

        Ao meu ver esse erro está ligado não somente a complexidade atual dos softwares e hardwares, mas também a pressa que a indústria tem para colocar um produto no mercado, pois este mercado já deve ser o que mais rende lucros atualmente.

      2. Caro Sereburo,

        Venho por meio deste declarar guerra … brincadeira.

        O Wii acessar a rede eu realmente não sabia.
        Vamos ao calendário. Não estou dizendo que o calendário é simples ou complexo de ser programado. Mas acho que você se esqueceu de uma coisa. A equipe que faz os sistemas gráficos do PS3 não deve ser a mesma (nem de longe) da equipe que faz o SO. São duas coisas completamente diferentes. É por isso que eu digo que o erro é passível. Como empresa, acredito que ela confia nas equipes para fazer o seu respectivo trabalho. Não acredito que tenha alguém que fiquei conferindo tudo o que foi desenvolvido. As equipes devem ter autonomia pra trabalhar, se não o PS3 levaria uns 100 anos pra ser feito.

        Por isso que não gosto de falar diretamente o nome da empresa sendo culpada. Na certa foi um infeliz que provavelmente está no olho da rua uma hora dessa. Mas é claro, toda a equipe do PS3 leva a culpa. Não discordo disso porque a empresa assume a responsabilidade ao lançar um produto. Mas mesmo assim, não gosto de falar diretamente que foi a Sony, ou a equipe do PS3.

        Quantos aos jogos. Em nenhum momento fiz pouco caso dos jogos antigos. Mas não concordo com a parte de que não há jogos tão bons quanto os de antigamente. Mas isso é questão de gosto e gosto não se discute. O que me resta é citar alguns exemplos que pude jogar e achei simplesmente sensacionais: Gears of War, Ghost Busters, The Witcher, World in Conflict, Assassins Creed, Prototype entre outros.

        Querendo ou não, manter a fórmula de antigamente não funciona mais. Como exemplo temos o Novo Sonic. Eles refizeram o primeiro jogo. Cansei de ler as pessoas falando que se for pra jogar daquele jeito, preferem o original. A Sega tentou re-inventar o personagem. Não agradou o público, mas ela tentou. O Mario64 agradou, mas não mudou sua fórmula original (pular em cima dos bichos)

        Eu gosto de um jogo com uma boa história. Xenogears é um bom exemplo. Pra se ter uma ideia, a história é tão complexa que os autores não tiveram tempo de terminar porque não tiveram prazo.

        Penso que os jogos antigos ficaram tão marcados porque foram novidades. Quando o Mario e Sonic sairam, não tinha nada igual a eles. Alex Kid e Pitfall são outros exemplos. Quem gosta de simuladores de corrida (como eu) sabe que realismo é tudo. Topgear é um divertidíssimo jogo de corrida. Mas eu não troco ele pelo GRID nem pelo Gran Turismo.

        Agora, dizer que trocaria um PS3 por um SNES foi demais.
        Quanto ao PS2 e o DS foi só pra zuar mesmo.

      3. Entendi seu ponto Macleary, mas ainda assim, a equipe de SO também faz muita coisa bizarra como escalonamento de processos, a PSN toda e vai lá. Como eles conseguem errar um ano bissexto? Independente da área ou da capacidade, é simples demais se for pegar o geral que eles devem fazer. Errou onde não podia, eu considero imperdoável até pelas dimensões do problema.

        Agora lógico, na parte dos jogos você tem razão. Eu exagerei um pouco mas quis dizer que de forma geral prefiro jogos daquela época do que os de hoje. De hoje tem muito jogo bom que eu jogo, mas se for pegar tudo, eu vou acabar preferindo mais jogos daquela época… Um jogo não é ruim por ter sido feito antes ou depois de uma época, não quis dizer isso. Mas sim, não troco meu SNES por um PS3 hehehehe. A não ser que seja pra vendê-lo e comprar um monte de outras coisas mais um SNES…

        Mas discordo sobre o Mario 64, que mudou sim a formula radicalmente. Mario 64 se tornou um jogo extremamente não-linear e o objetivo que era simplesmente chegar ao final da fase mudou pra completar missões. A Nintendo cometeu um pecado mudando a fórmula? Claro que não. Mudar é necessário pra renovar, só que tem que ser feito corretamente. A Sega falhou nesse ponto várias vezes fazendo uma imitação capenga de God of War ou fazendo conversar com mil NPCs na cidade no Sonic Unleashed, por exemplo. Não encaixa com Sonic e principalmente, não é divertido. Mas se for pensar, Mario 64 não encaixa na fórmula típica do Mario antigo e deu certo… Então acho que não existe regra, se a coisa ficar divertida.

        No caso do Sonic 4 muita gente reclamou justamente que o Sonic fugiu demais de suas origens e adoraram essa “novidade”. Não tem jeito de agradar todo mundo, o problema é quando você começa a não agradar ninguém… Quantas pessoas falam que amaram aquele lobisomem? E ainda acho que dá pra trazer muita inovação num clássico de plataforma igual o Sonic.

  3. Concordo com tudo q o Thales disse ahuhuahuahuahu
    Aliás, essas regras de vestimenta não só da OAB mas de qq ambiente de trabalho são ridículas. Um dia blogarei sobre isso kkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s