Uncategorized

Por que os jogos de antigamente eram melhores?

Sou acusado pelas pessoas de ser retrógrado. Alguém que não gosta dos jogos atuais. Eu preferia aquela época em que o grau de diversão do jogo era medido por bits.

-MÃE, COMPRA ESSE VIDEOGAME PRA MIM.

-Você já tem um Nintendo, meu filho.

-Só que esse tem 64 bits, mãe! O outro é 16.

-O que são bits?

-Er…

quico

Apesar disso, é fato. Os jogos antigos são muito superiores aos atuais. Para ilustrar como eu me sinto, imagine que estou conversando com um jogo que acabei de baixar pro celular.

Sim, eu sei que pessoas normais não conversam com softwares de entretenimento (chupa, Robô Ed!). mas imagine isso para entender meu raciocínio.

-Oi, jogo!

-Olá, Lucas. Você quer me jogar?

-Sim, eu quero jogar você.

-Ótimo, pode começar.

-Beleza, quero ir logo pra primeira fase.

-Ótimo! Para jogar a primeira frase, é preciso pagar $0.99.

-Ahn… Eu pensava que esse fosse um jogo “free to play”.

-Ele é.

-Mas você está dizendo que eu preciso pagar.

-Você só paga se quiser.

-Mas eu preciso pagar pra jogar a primeira fase, não é?

-Isso. Mas só se você quiser.

-Ahn… tá, não quero discutir. Toma! Agora deixe-me jogar.

-Divirta-se com a primeira fase… 😀

-Estou tentando, só que está muito difícil. Não pode facilitar pra mim?

-Quer uma ajuda? Toma essa armadura overpower com espada megalomaníaca!

-UAU! Agora nos entendemos, isso está bem divertido… ué. Já acabou? Cadê a armadura e a espada?

-Quer comprar ela? Custa só $4.99!

-Ahn… Você não pode simplesmente devolver ela pra mim?

-Claro. Pague $4.99 e você pode continuar usando ela. Para sempre!

-Prefiro continuar do jeito que estava…

-Claro. É você quem manda!

-Ué… e agora? Parou por quê?

-Acabou a energia do seu personagem.

-Como assim, acabou a energia?

-Ele precisa descansar. Aguarde a energia dele recarregar.

-Quanto tempo isso leva?

-Pra recarregar a barra de energia toda? Umas 8 horas.

-Tudo isso?

-Você quer recarregar automaticamente a barra de energia? Pra isso, basta você utilizar um ítem chamado xícara de café.

-Xícara de café? Onde eu arrumo isso?

-Custa $0.99. Recarga completa!

-Argh! De novo isso?

-Aproveite nosso pack promocional. Por apenas $14.99, compre 20 copos de café.  Você ganha 5 recargas grátis!

-Eu realmente preciso pagar pra continuar jogando? Desisto!

-Calma! Posso te dar uma recarga grátis.

-Melhorou.

-Mas pra isso…

-PRA ISSO O QUÊ? QUANTO CUSTA? NÃO VOU PAGAR NADA!

-Calma… Te dou uma recarga grátis. Com uma condição.

-Qual?

-Compartilhe no Facebook que você está jogando esse jogo.

-Aff… Tá bom. Pelo menos não precisei pagar nada.

-Pobre…

-Ué, estava jogando e parou de novo? O que houve dessa vez?

-Então…

-ENTÃO NADA! EU QUERO JOGAR ESSE JOGO! NÃO VOU PAGAR NADA.

-Calma, não é preciso pagar nada.

-Ainda bem.

-Foi só um bug do jogo.

-Como assim, um bug? Eu paguei pra jogar e esse jogo está com defeito?

-Acontece.

-Como assim acontece?

-É preciso esperar.

-Esperar o quê? Eu não tenho mais nenhuma xícara de café.

-Não é isso. Esse jogo não é compatível pro seu celular. É preciso esperar um update.

-Você me faz pagar por um jogo que é incompatível pro meu celular?

-Podia ser pior, tem pessoas que pagam por jogos que sequer estão prontos. E que talvez nunca fiquem. E ainda deram nome chique pra isso: crowdfunding.

Concluindo: prefiro mais os jogos antigos mesmo. Confiável era meu SNES que pedia pra eu escrever um password, e não o número do cartão de crédito…

Anúncios
Uncategorized

5 modificações de jogos mais bizarras feitas pela Tec Toy

Tec Toy e Master System, uma parceria lendária que marcou várias infâncias. Quem não se lembra das versões de “Mônica no Castelo do Dragão” ou “Turma da Mônica em: O Resgate”?

Tudo bem que era bizarro ver a Mônica interagir apenas com monstros bizarros e enfrentando um dragão cospe fogo do Capitão Feio (desde quando ele treina dragões afinal?). E desde quando um inimigo é derrotado quando você adivinha seu sanduíche favorito? E o vilão do jogo, Capitão Feio, que nunca aparecia no jogo?

sanduiche_bauru
Renda-se, Duque Armadura!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu nunca entendia a relação desse jogo com o universo da Turma da Mônica, pois tinha pouca coisa a ver (na verdade nada mesmo). O jogo original, chamado “Wonderboy in Monster Land” tinha um personagem com pouquíssimo ou nenhum apelo ao público brasileiro. Numa época sem internet e com as locadoras de video-game no auge, muitas vezes a única informação que existia para comprar um jogo era o apelo da capa. Como vender então os jogos desse personagem sem qualquer graça ou carisma?

Você compraria isso daqui só pela capa?
Você compraria isso daqui só pela capa?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Acabou sendo uma jogada de mestre da Tec Toy, empresa responsável pelas vendas de Master System e Mega Drive no Brasil, obter uma licença para lançar jogos de personagens super populares, como a Turma da Mônica.

Mas nem tudo são flores. A Tec Toy acabou exagerando um pouco nessa estratégia e lançando jogos muito bizarros, colocando personagens em contextos sem qualquer nexo e criando verdadeiros fracassos. Nesse post enumero alguns deles.

5. Sapo Xulé

Quem foi criança no Brasil durante os anos 90 certamente já ouviu falar do Sapo Xulé. É um personagem baseado na música do cancioneiro popular “o sapo não lava o pé”. Se não me engano ele começou com um brinquedo da Estrela que tinha um pé fedido, mas que se estendeu para desenhos animados na TV, filmes e jogos para o Master System!

Um sapo que luta Kung Fu? E se ele luta Kung Fu porque ele está usando um quimono de Karatê?

E se você pega um “jogo de navinha” e pede pra um ecochato modificar pro Sapo Xulé temos… Um sapo que não lava o pé mas que odeia uma lagoa poluída com fósforos que explodem debaixo d’água( ?) e tesouras.

4. Castelo Rá-Tim-Bum

Acho que é o único jogo da lista que não é uma modificação. Isso explica o cenário horrível. Não adianta Tec Toy, não é uma boa ideia usar o Paintbrush pros gráficos de um jogo.

3. Chapolim vs Drácula

Cometer erros ao desenvolver um jogo acontece, mas errar o nome do personagem? Pobre Chapolin. E com tantos vilões, por que botaram o pobre coitado pra enfrentar o Drácula? Tudo bem que o Drácula sempre apanhou dos Belmont, mas apanhar pro Chapolin já virou palhaçada. Ao menos ele tem a marreta biônica pra ajudar. Não que faça diferença pois o jogo é extremamente difícil…

2. Geraldinho

Pegaram um jogo que originalmente já era ruinzinho (Teddy Boy), botaram o boneco do Geraldinho terrivelmente mal feito no lugar e o resultado… Algo que mal vale a pena ser comentado. Aliás, por que escolher logo esse personagem pra um jogo de Master System? A Tec Toy faria uma continuação com o Geraldão, por exemplo?

1. Tv Colosso

 Notem que logo na abertura o Gilmar toma uma poção que o deixa super forte e a Priscila anda igual ao Homer Simpson. Aliás, qual a razão da fúria dos dois que de repente começaram a socar tudo pelos ares?

É preciso dar méritos a Tec Toy. Pegar um jogo do Asterix e transformar em TV Colosso é para poucos. Vai ver por isso que o programa original acabou. Era vergonhoso demais continuar existindo depois dessa bizarrice. Mas pelo menos o jogo é bom.

E esse foi mais um post da C2 Games. Vamos encerrá-lo agora com uma notícia urgente de última hora:

http://www.fliperamablog.com/post/1987/zeebo-tem-queda-de-preco-devido-ao-sucesso-das-vendas

c2games, fato, informativo, lol, opinião, polemico

5 motivos pelos quais Diablo 3 desaponta

E quase um ano sem posts… Cá estou eu, para reacender a chama blogueira da velha c2games!

Sem maiores delongas, se você é minimamente informado sobre jogos, deve ter ouvido falar de Diablo 3. Um dos jogos que nutriu a maior expectativa de lançamento nos últimos tempos, não deixa de ser um bom jogo. Mas é evidente que ele poderia ser muito melhor e possui aspectos realmente frustrantes. E o objetivo desse post é exatamente esse, justificar porque Diablo 3 não correspondeu a 100% das expectativas geradas.

E na posição 5 desse post…

Continue lendo

Bizarros, fato, lol, opinião

ApocaliPS3 e mais gambiarras

Imagine que você é um programador de jogos e seu próximo jogo tem que ficar pronto pra… ontem. Comofas/ naofas.

Nessas horas que surgem as famigeradas gambiarras. Vocês viram o bug bizarro que aconteceu no PS3? Se não, acompanhem no twitter ou no google pelo termo “APOCALIPS3”. Não soube a fundo, mas do que sei o console basicamente parou.

A próxima será sua batata, Sony...

Continue lendo

Bizarros

Post Fenomenal…

Acho melhor dizer isso duma vez pra o choque ser imediato: esse post é sobre a novelinha da Globo, Malhação. Mas já vou avisando que eu não assisto e até por isso a probabilidade de eu falar algo errado é grande.

Estava lendo o Globo do último domingo quando me choco com a seguinte informação: um dos personagens dessa novelinha é viciado em videogames e com isso decide investir na carreira de criação de jogos. Como se fosse comum uma pessoa decidir que vai criar um jogo 3D de uma hora pra outra…

Pesquisando sobre esse assunto no senhor de todo o conhecimento, noto que o buraco é bem mais embaixo. Vendo esse blog, descobri que existe um personagem que é autor de HQs e cria a história de uma super-heroína chamada Fenômena.

generico
F de Fenômena ou F de Farol? o.O

Continue lendo

informativo, lol, opinião

Deixados quatro pros mortos

Se tem uma empresa de jogos que tem roubado a cena nos últimos anos, essa é a Valve. Dona de uma biblioteca de jogos muito conhecida como Half-Life, Team Fortress, Portal, Counter Strike dentre outros, até o super avançado Source Engine, licenciado para várias empresas.

Só isso? Claro que não, a Valve também é a dona do Steam, serviço de distribuição digital de jogos, que é um jeito excelente de comprá-los a preços bem mais justos dos que são oferecidos no Brasil por culpa dos impostos. A Valve ownou bonito os políticos do país.

lula21
Ah se eu pego essa vauvi!

Só que esse post não tem só como objetivo puxar o saco da Valve, mas também falar sobre seu último jogo que foi considerado o jogo do ano em 2008 e se tornou uma mina de ouro, chamado Left 4 Dead.

Continue lendo